Fone: 55 3535-2983
E-mail:srtmrs@yahoo.com.br
Av.Senador Alberto Pasqualine, nº 575

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Mato Grosso tem quebra de 8 mi de toneladas após sucessivos recordes de produção


A produção de grãos em Mato Grosso teve quebra de 8,293 milhões de toneladas na safra 2015/2016 em comparação com o ciclo anterior. É a maior baixa de produção do Estado, segundo a série histórica da Companhia Nacional (Conab), que vinha registrando sucessivos recordes desde o ciclo 2007/2008. O milho 2ª safra foi o principal contribuinte com redução de 5,2 milhões de toneladas na produção de um ciclo para outro.

Os números constam no 12º e último levantamento da produção de grãos da safra 2015/2016 divulgados pela Conab mensalmente.
A produção total de grãos na safra 2015/2016 ficou em 43,425 milhões de toneladas. Uma retração de 16% no comparativo com o ciclo passado de 51,718 milhões de toneladas. O volume é ainda menor que as projeções apresentadas no mês de agosto para a safra que haviam sido de 44,172 milhões de toneladas. O relatório mostra, ainda, uma produtividade de 3.101 quilos por hectare, 18,5% a menos que na safra 2014/2015.
Mato Grosso vinha de uma sequência de oito safras de crescimento, mais precisamente do ciclo 2006/2007. De acordo com série histórica da Conab, o Estado registrou “leve” queda da safra 2004/2005 de 24,731 milhões de toneladas para 22,580 milhões na safra 2005/2006, vindo a se recuperar na safra seguinte (2006/2007) com 23,495 milhões de toneladas. Os sucessivos recordes de produção começaram a vir a partir da safra 2207/2018 quando atingiu 28,193 milhões de toneladas. Conforme a Conab, o maior salto de produção foi constatado da safra 2010/2011 para a 2011/2012 de 30,949 milhões de toneladas para 40,353 milhões.
Milho responsável
A ausência da chuva já na cultura da soja, provocada pelo fenômeno climático El Niño, culminou em atrasos de semeadura, não só da própria oleaginosa, mas como das outras culturas. Além disso, no período de desenvolvimento da cultura do milho, no caso, a chuva cessou no Estado, reduzindo ainda mais a produtividade do cereal.
A produtividade da 2ª safra do milho caiu 34% de 6.056 quilos por hectare para 3.999 quilos. Tal resultado "derrubou" em 25,8% a produção de 20,305 milhões de toneladas para 15,072 milhões. A soja em Mato Grosso, destaca a Conab, confirmou-se com uma quebra de 7,1% de 28,018 milhões de toneladas para 26,030 milhões de uma safra para a outra.
No caso do feijão, somando as três safras realizadas dentro do ciclo 2015/2016, a retração na produção foi de 56,1% ante o ciclo passado, de 533,1 mil toneladas para 233,9 mil toneladas, o que culminou na elevação de preços aos consumidores. Já o arroz registrou recuo de 28,4% de 612,6 mil toneladas para 438,6 mil toneladas.
No algodão em caroço o resultado negativo foi de 4,5%, de 2,304 milhões de toneladas para 2,201 milhões, que após beneficiamento devem resultar 880,5 mil toneladas de algodão em pluma e 1,320 milhão de toneladas de caroço de algodão.
Brasil
A produção brasileira de grãos, aponta o último levantamento da Conab referente à safra 2015/2016, ficou em 186,4 milhões de toneladas, 10,3% a menos que as 207,7 milhões de toneladas colhidas na safra 2014/2015.

Notícias

Senar RS

CNA Brasil